Page 3 of 3

Re: The book is never better than the film

Posted: 10 Jun 2012 01:38
by grayfox
Bugman wrote: No final, cada forma de que eu escrevesse teria uma cena filmada que melhor se ajustava. Não quer dizer que tecnicamente não estivessem bem filmadas, simplesmente queria dizer que se ajustavam, ou não, à obra que lhes dá origem.


mas porque é que têm de se ajustar à cena que lhes dá origem? uma adaptação tem de fazer exactamente o que o livro manda sem tomar nenhuma liberdade criativa? e se sim, como poderia alguma vez ser melhor, se o critério da sua qualidade é simplesmente replicar o que está escrito?


Bugman wrote: Dizes que a "eficiência" de transmissão é um dos pontos de comparação. Não, é o ponto de comparação e nesse sentido o filme pode (e alguns casos) ser pior do que o livro.


bem aqui tocaste no busilis da questão e de uma maneira que eu concordo, se de entre as várias vertentes que cada uma das artes tem, este é o único ponto que pode ser comparado, então as obras no seu todo não o podem ser. se tens dois alunos que têm apenas uma disciplina em comum, podes dizer que a essa disciplina um é melhor que o outro, mas não podes avaliar qual dos dois é melhor na globalidade. posso-te dar um exemplo muito concreto, 2001: odisseia no espaço, qual é melhor o livro ou o filme? do ponto de vista de transmitir a história o livro é melhor, pelo teu critério então o livro é melhor que o filme. mas e os planos, os cuts utilizados, a banda sonora, não transmitem sensações impossiveis ao livro de replicar? isso não interessa para a qualidade do filme? será que o filme tinha sequer o intuito de transmitir a historia com a mesma explicidade do livro?

Re: The book is never better than the film

Posted: 10 Jun 2012 12:14
by Bugman
grayfox wrote:
Bugman wrote: No final, cada forma de que eu escrevesse teria uma cena filmada que melhor se ajustava. Não quer dizer que tecnicamente não estivessem bem filmadas, simplesmente queria dizer que se ajustavam, ou não, à obra que lhes dá origem.


mas porque é que têm de se ajustar à cena que lhes dá origem? uma adaptação tem de fazer exactamente o que o livro manda sem tomar nenhuma liberdade criativa? e se sim, como poderia alguma vez ser melhor, se o critério da sua qualidade é simplesmente replicar o que está escrito?


Adaptar: Fazer com que uma coisa se combine convenientemente com outra; acomodar, apropriar.
Uma adaptação está sempre limitada pelas balizas que a obra original lhe coloca. Há liberdade artística? Claro que há, mas essa acaba na palavra destacada. Quando a liberdade artística de quem adapta passa essa barreira deixa de ser uma adaptação, será uma "obra inspirada por", que a manter o título será publicidade enganosa...

grayfox wrote:
Bugman wrote: Dizes que a "eficiência" de transmissão é um dos pontos de comparação. Não, é o ponto de comparação e nesse sentido o filme pode (e alguns casos) ser pior do que o livro.


bem aqui tocaste no busilis da questão e de uma maneira que eu concordo, se de entre as várias vertentes que cada uma das artes tem, este é o único ponto que pode ser comparado, então as obras no seu todo não o podem ser. se tens dois alunos que têm apenas uma disciplina em comum, podes dizer que a essa disciplina um é melhor que o outro, mas não podes avaliar qual dos dois é melhor na globalidade. posso-te dar um exemplo muito concreto, 2001: odisseia no espaço, qual é melhor o livro ou o filme? do ponto de vista de transmitir a história o livro é melhor, pelo teu critério então o livro é melhor que o filme. mas e os planos, os cuts utilizados, a banda sonora, não transmitem sensações impossiveis ao livro de replicar? isso não interessa para a qualidade do filme? será que o filme tinha sequer o intuito de transmitir a historia com a mesma explicidade do livro?


Eu já ando a tocar no busílis da questão há muito tempo... Quanto ao exemplo que deste espero mesmo que o livro seja melhor que o filme, porque o filme é tão bom, que ao longo do filme todo devo ter adormecido umas três ou quatro vezes e portanto não consegui captar "a essência" do mesmo (e diga-se de passagem, não fiquei com muita vontade para rever).

O busílis da questão é que não é por o livro ser melhor/tão bom/pior do que o filme que torna o livro ou o filme uma obra maior/menor dentro do seu género. A questão da disciplina que colocas, é que estás a comparar um aluno com um défice de atenção com um aluno com dislexia com um aluno normal: todos têm de demonstrar a capacidade de dominar as matérias mas necessitam de abordagens distintas. (Comentário político do dia: "obrigado" senhor Crato por acabar com as provas adaptadas!)

Quanto aos destacados, o que ressalta é que continua a haver a confusão sobre o que está subjacente na comparação, portanto eu volto a repetir: dizer que um é melhor que o outro não significa dizer que um e o outro são maus dentro da sua categoria. A relação comparativa que se estabelece, e que será feita entre a totalidade da obra, sem prejuízo de comparações entre cenas individuais, é entre obra B e obra A que lhe deu origem e não entre obra B, B1, B2, etc, ou entre obra A, A*, A**, etc.

Re: The book is never better than the film

Posted: 10 Jun 2012 13:42
by grayfox
aquilo que tu chamas "o livro é melhor que o filme" devia ler-se "o livro é melhor que o filme a contar esta história". são coisas distintas.

Re: The book is never better than the film

Posted: 10 Jun 2012 16:16
by Bugman
Eh pá, depois dessa distinção importante só tenho mais um ponto a acrescentar a esta discussão: a desonestidade contida no título desta discussão é a forma de os cinéfilos dizerem que não importa a borrada que se faça a partir de um livro, se tecnicamente for bom mas não fiel à obra que lhe dá origem, então não pode ser comparado. Essas são as tais coisas distintas que tu destacas. Só que como eu disse anteriormente, se falhar o propósito de contar a história do livro, só que com recurso a imagens e sons, não passa de publicidade enganosa!

De resto, vou ler o livro que deu origem ao Zorba...

Re: The book is never better than the film

Posted: 10 Jun 2012 16:26
by Samwise
Bugman wrote: De resto, vou ler o livro que deu origem ao Zorba...


A parte masculina ou a parte feminina? :twisted:

Bugman wrote: Eu já ando a tocar no busílis da questão há muito tempo... Quanto ao exemplo que deste espero mesmo que o livro seja melhor que o filme, porque o filme é tão bom, que ao longo do filme todo devo ter adormecido umas três ou quatro vezes e portanto não consegui captar "a essência" do mesmo (e diga-se de passagem, não fiquei com muita vontade para rever).


Acho de uma injustiça tremenda as obras literária beneficiarem de um favorecimento de oportunidade que nunca é aplicado aos filmes. Quando adormecemos a ler um livro voltamos sempre ao ponto em que o deixámos no momento do infortúnio (não cabe na cabeça de ninguém avançar umas 20 páginas e começar a ler aí), enquanto que nos filmes, "águas passadas não movem moínhos", e então toca a seguir a narrativa no ponto exacto em que voltámos a acordar (se é que entretanto já não passaram os créditos finais). E com base nisto: "o filme é uma porcaria porque adormeci três ou quatro vezes!", mas nos livros, nem pio... :mrgreen: :rotfl: :bbde:

(edit: já sei porque é que esse favorecimento acontece: porque o livro é sempre melhor que o filme... :D )

Re: The book is never better than the film

Posted: 10 Jun 2012 23:20
by grayfox
Bugman wrote:Eh pá, depois dessa distinção importante só tenho mais um ponto a acrescentar a esta discussão: a desonestidade contida no título desta discussão é a forma de os cinéfilos dizerem que não importa a borrada que se faça a partir de um livro, se tecnicamente for bom mas não fiel à obra que lhe dá origem, então não pode ser comparado. Essas são as tais coisas distintas que tu destacas. Só que como eu disse anteriormente, se falhar o propósito de contar a história do livro, só que com recurso a imagens e sons, não passa de publicidade enganosa!


não sei que desonestidade encontras no título desta discussão.

se reduzes um filme a ter de simplesmente contar a mesma história que o livro, então entendo que possas simplesmente dizer que o livro é melhor que o filme, já que nada mais conta. pegas em duas artes distintas, reduzes-las ao ponto que elas têm em comum e aí sim, comparas uma com a outra. mas se o máximo que o filme pode fazer é replicar na perfeição o livro que lhe deu origem, o máximo que poderá fazer, pelos teus critérios, será ser tão bom como o livro.

em relação a colocares a discussão como uma arma que os cinéfilos usem para defender as adaptações menos conseguidas, a mim não me afecta, leio livros e vejo filmes, por isso estou dos dois lados da barricada, não é por isso que defendo o meu ponto de vista (sem necessitar de rebaixar os pontos de vista alheios). quando um filme é mau, não preciso de ter lido o livro para o saber, da mesma forma se o filme é bom, não me interessa o quão fiel é ao livro original. cada uma das artes funciona por si própria e só porque de vez em quando se baseiam em obras uma da outra para obter inspiração, não significa que possam ser pesadas numa balança.

Re: The book is never better than the film

Posted: 11 Jun 2012 13:56
by Sharky
A visão do escritor ao escrever a história, e a visão do realizador a realizar o filme baseado na história do livro, são discutíveis ou não, Gray?

Re: The book is never better than the film

Posted: 11 Jun 2012 14:24
by grayfox
tudo é discutivel, sharky, indiscutivelmente :D

Re: The book is never better than the film

Posted: 11 Jun 2012 14:44
by Sharky
grayfox wrote:tudo é discutivel, sharky, indiscutivelmente :D


Spoiler! :
Image

Re: The book is never better than the film

Posted: 11 Jun 2012 14:46
by urukai
Para mim, que gosto é de quantidade, o livro é sempre melhor que o filme porque contém mais informação.

Re: The book is never better than the film

Posted: 27 Jun 2012 11:25
by Bugman
Prometi a mim mesmo depois do último comentário que escrevi que dificilmente voltaria cá. No entanto aqui estou, mas para manter uma certa paz com a minha consciência optei por nao ler o que foi escrito de lá para cá.

Porque voltei entao? Bom, como é sabido de outras paragens, estou a ler o livro que deu origem ao filme Zorba, o Grego. Claro que ler o livro de um filme que já se viu várias vezes, com várias idades é sempre uma luta desigual. No entanto, se olharmos para a mensagem e tentarmos captar a de um e outro lado o que se verifica é que as adaptaçoes que se fizeram no filme (e a quantidade de coisas cortadas) nao constituem atentado à obra. Claro que o António Raínho consegue com a sua interpretaçao dizer com silêncios e expressoes corporais o que o autor necessitou de páginas e descriçoes. Sao artes diferentes? Sim, mas comparáveis!

Até mais tarde, quando acabar o livro e revir o filme. ;)